Otto Muehl e o problema da beleza

Criando imagens sempre busco a harmonia entre espaço, cor e formas para tentar alcançar o “belo”, mas esta busca parece limitar e enquadrar todos os trabalhos em lugares já conhecidos, tornando tudo tão repetitivo e igual a outros trabalhos que já fiz e vi por aí. É só assistir um filme, abrir uma revista ou assistir televisão para ter novamente essa sensação. É tudo muito parecido.

A procura de novas formas de construção da imagem descobri um artista já falecido, Otto Muehl, que procurou em suas obras romper com qualquer forma de construção pré-estabelecida, sendo o antônimo da beleza. E ele foi longe.

Algo diferente para se olhar.

Aqui uma página com vários vídeos dele.

Depois de muitos anos tentando romper com qualquer limitação da arte, Otto Muehl fundou uma seita hippie influenciada nas teorias psicossexuais de Wilhelm Reich, que realizava uma espécie de ação grupal de psicanálise, se afastando de galerias e apresentações em público.

post: Filipe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s