Crônica de Cinzas (ou de pertencimento)

Neste feriado, fui para uma dessas praias paulistas abarrotadas. Fiquei no meio de milhares de carros, vendo os pés sujos nos parabrisas. Fui para onde todos foram. Parei no posto lotado, compartilhei um banheiro usado, e esperei na fila para sair, mesmo sem ter consumido nada. Comi milho, nadei no mar sujo, assisti tv globo. Fiz o que todos fizeram.

 

Assisti aos intermináveis desfiles das escolas de samba, ao oscar, e tomei cerveja. Quente, de bom humor. Vi todos à vontade, aceitando a convenção tácita de mostrar partes do corpo que, na cidade, jamais. Desfile de roupas praianas. Desfile de pele urbana.

 

Voltei junto com todos. Ou com todos que voltaram naquela mesma hora, que pareciam todos. Cheguei, mais cansado do que saí.

 

Neste feriado, eu pertenci.

 

 

 

 

 

poSt: Gustavo

2 Respostas para “Crônica de Cinzas (ou de pertencimento)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s